A história da capoeira

A história da capoeira é tão antiga como a da escravatura, aliás, foram os escravos que “inventaram” a capoeira. Mas antes de mais, temos que saber o que significa.

O significado de capoeira

A palavra capoeira é uma palavra tipicamente brasileira e compreende os seguintes significados: arte-marcial, desporto, cultura popular, dança e música.

A história da capoeira

A história da capoeira e a sua origem

A história da capoeira começa no tempo em que o Brasil era uma colónia de Portugal, no século XVI. Era também nesta altura que Portugal tal como outros países colonizadores tinham colónias em Africa e para além de escravizar os negros também eram trazidos como escravos para o continente para trabalhar nas lavouras de cana-de-açucar, principalmente no nordeste brasileiro.

Como se sabe, um dos países de onde vinham os escravos era Angola e era sabido que me Africa era normal fazerem muitas danças ao som de músicas. Assim sendo, a capoeira foi definida como uma arte marcial que os escravos foram desenvolvendo sob a forma de dança, como foram de lurarem contra a opressão e os castigos a que eram sujeitos pelos senhores das grandes plantações. Como por exemplo, quando os escravos fugiam das fazendas, eram perseguidos como animais pelos capitães do mato, que tinham o habito de fazerem as capturas de forma bastante violenta.

A capoeira no Brasil

A história da capoeira mostra-nos que este tipo de luta era composta principalmente pelo uso dos pés e cabeça, mais parecia uma dança. Isto porque os europeus só conheciam tipos de luta onde se usavam somente os braços, o que lhe dava uma desvantagem num eventual confronto com alguém que soubesse capoeira. Claro que isto fez com que os senhores proibissem a pratica desta arte marcial entre os escravos.

Mas como os escravos eram seres humanos, rapidamente arranjaram uma forma de continuarem a praticar esta arte marcial, sem que os seus senhores se dessem conta. E a solução que encontraram até foi bem simples, pois eles simplesmente incorporaram música na capoeira. Desta forma, quem visse de fora, era apenas um grupo de escravos a fazerem uma espécie de dança típica africana. Passavam de tal maneira como danças africanas, que havia mesmo feitores que até as achavam bonitas. E foi assim, desta forma simples e discreta que a capoeira conseguiu sobreviver aos anos de proibição.

Só em 1930 é que a capoeira deixou de ser proibida, até lá a pratica desta arte marcial era feita nos terreiros perto das senzalas e na altura tinham como objetivos principais não só a manutenção da cultura como também o alivio do stress do trabalho e claro a manutenção da saúde física.

Assim, em 1934, durante o governo de Getúlio Vargas, um famoso mestre de capoeira chamado Bimba fez uma demonstração de capoeira ao então presidente, conseguindo encantá-lo, o que o fez considerar a copoeira como um futuro desporto nacional.

A história da capoeira

3 estilos de capoeira

A história da capoeira diz-nos que há três estilos da capoeira e, estes três estilos têm movimentos e ritmos musicais diferentes.

O estilo mais antigo, que vem do tempo da escravatura, é a capoeira Angola. As suas principais características são:

• Ritmo musical lento;
• Golpes jogados mais baixos, mais perto do solo
• Muita malícia

O estilo regional, que foi criado pelo Mestre Bimba, tem como principais características:

• Mistura da malícia da capoeira Angola com o jogo rápido de movimentos, ao som do berimbau
• Golpes são rápidos e secos
• Não há acrobacias

O terceiro tipo de capoeira é o contemporâneo, que acaba por unir um pouco dos dois primeiros estilos. E este ultimo tipo é o mais praticado hoje em dia.

Características da capoeira

A história da capoeira diz-nos que é um tipo de luta que é acompanhada por música, pois é a música que decide o ritmo e o estilo do jogo, que é praticado dentro da roda da capoeira, que é um circulo de pessoas e os “lutadores” estão dentro do circulo.

Deste modo, os praticantes de capoeira, chamados de capoeiristas, alinham-se na roda de capoeira batendo palmas ao ritmo da música produzida pelo berimbau, enquanto cantam música de capoeira para que os dois que estão dentro da roda começarem a jogaram.

Para quem não sabe, o berimbau é um instrumento musical de corda feito de madeira, bambu, arame e uma cabaça.

O jogo termina ao comando do capoeirista que tem o berimbau, que por norma é um capoeirista mais experiente ou com o inicio de um novo combate. A música que acompanha a “luta” é composta por instrumentos e canções, e o ritmo varia conforme o “toque de capoeira” de lento ao acelerado.

Também aqui tal como no judo ou no karaté, a graduação é feita pelas cores das cordas ou cordéis que são atados na cintura do jogador.

A história da capoeira

Sabia que

• Um capoeirista que ignore a musicalidade é considerado um capoeirista incompleto. Um capoeirista deve saber tocar os instrumentos típicos, para além de cantar e aplaudir durante o jogo de capoeira.
• O maculelê e o samba de roda são associados à capoeira, mas têm ascendência e significados diferentes.
• Em 26 de novembro de 2014, a UNESCO, declarou a roda de capoeira como sendo um património imaterial da humanidade. Segundo a organização, a capoeira é o símbolo da luta e resistência dos negros brasileiros contra a escravidão durante os períodos colonial e imperial da história.

Ver também:

A história do karaté

A história do judo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.