A história do andebol

A história do andebol, pelo menos como conhecemos hoje, teve o seu inicio nos finais do século XIX, por volta de 1890, para ser mais preciso, na Alemanha, mas na altura tinha o nome de Rafball.

A história do andebol

A história do andebol, por incrível que pareça, é uma daquelas modalidades em que se torna difícil saber exactamente quando começou. Isto porque se descobriu em Atenas um baixo relevo, com data de 600 A.C., de um jogo de bola com as mãos. Isto leva-nos a acreditar que pode ter tido aqui o seu nascimento.

Contudo, o andebol como se conhece nos dias de hoje, só começou muito mais tarde. Como já foi dito acima, o andebol “moderno” começou no século XIX e difundiu-se por toda a Alemanha. Mas só vai ser em 1920 pelas as mãos de um professor de educação física, chamado Schellenz, que vão ser lançadas as bases do andebol de 11 jogadores, e que era jogado num campo de futebol, aonde foi buscar a inspiração para a criação das suas próprias regras. Aqui a grande diferença entre os dois, é que no andebol joga-se com as mãos.. Nos países escandinavos, este jogo era jogado nem recintos fechados por uma razão muito simples: o clima. Mas aqui o numero de jogadores era diferente do resto, aqui jogava-se com 7 jogadores.

Depois da II Guerra Mundial, o andebol que era jogado até então com 11 jogadores entra em declínio ao contrário do andebol de 7, que se impunha cada vez mais como um desporto europeu, principalmente praticado nas escolas. O andebol masculino conseguiu fazer parte dos jogos olímpicos como modalidade só em 1972 e o feminino só passados 4 anos, em 1976. Hoje em dia é um dos desportos escolares mais praticados e populares em todo o mundo.

O andebol em Portugal

A história do andebol em Portugal começa em 1929, com a publicação das Regras no Jornal Sports (o jornal desportivo da altura). Uma vez divulgadas as regras e desenvolvidos os primeiros passos a serem dados, as associações de Lisboa e do Porto organizaram as primeiras competições oficiais em 1932, ainda com 11 jogadores, pois o andebol de 7 em Portugal só vai aparecer por volta de 1949.

Nos dias de hoje, a realidade é bem diferente. A presença regular do andebol português nas mais importantes actividades internacionais, tem vindo a atrair cada vez mais publico e consequentemente cada vez maior audiência, sendo que cada vez mais se vê jogos transmitidos na televisão. Hoje em dia, o campeonato masculino está dividido em 4 divisões nacionais e as restantes divisões regionais.

A história do andebol

As principais regras do andebol

A história do andebol mostra-nos que para se poder jogar este jogo, primeiro que nada temos que ter um campo e esse campo deve ter o formato de um rectangular com 20m de largura por 40m de comprimento e as suas linhas são compostas pelas seguintes: linha central, lateral e de fundo, linhas de substituição, linha dos 7 metros, linha de limitação do goleiro, linha do livre e área de golo.

Um jogo de andebol é composto por duas partes com uma duração de 30 minutos cada uma e com 10 minutos de intervalo. Isto par os jogadores com idades => a 16 anos, porque se for para jogadores com idades entre os 12 e os 16, cada parte tem uma duração de apenas 25 minutos e para os jogadores com idades entre os 8 e os 12 anos, a duração de cada parte é de apenas 5 minutos.

As faltas

São consideradas faltas:

  • Arrancar ou golpear a bola das mãos do adversário;
  • Empurrar ou bloquear o adversário com os braços, mãos, pernas, ou outra qualquer parte do corpo de modo a obrigá-lo a deslocá-lo;
  • Agarrar o adversário;
  • Saltar ou correr sobre o adversário.

Os fundamentos do andebol

A história do andebol ensina-nos que os fundamentos do andebol são as técnicas e os movimentos que são usados para jogar. Assim sendo temos os seguintes fundamentos: a Empunhadura, a Recepção, o Passe, o Arremesso, o Drible e a Finta.

Tipos de passe

Passe acima do ombro – este é o passe mais utilizado num jogo de Andebol, que pode ser feito em trajectória reta ou parabólica.

Passe em pronação – este passe é feito segurando a bola com a palma da mão apontada para baixo e realizando um giro do punho para fora e pode ser feito com direcção lateral ou para trás.

Passe por de trás da cabeça – este passe é como o próprio nome indica, ou seja, a bola é lançada por trás da cabeça e pode ser feito em direcção lateral ou diagonal.

Passe por de trás do corpo – este passe é feito lançando a bola por trás do corpo, e pode ser feito em direcção lateral ou diagonal.

Passe para trás – este é feito na altura da cabeça com extensão do punho jogando a bola para trás.

Passe quicado – aqui a bola toca no chão do campo uma vez antes de ser recepcionado pelo companheiro da equipa. Costuma ser usado para desviar a bola de um marcado adversário.

Ver também: A história do futsal; A história do voleibol

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.