A história da dança

Antes de começarmos a falar sobre a história da dança, temos que dizer que a Dança, é a arte de mexer o corpo, numa série de movimentos ritmados. Ou seja, ao som de alguma música ou de algum batuque.

O ser humano, mesmo antes de conseguir aprender a falar, já sabia dançar. Não acreditam? É verdade! A dança e a sua história podem ser remontadas à pré-história, numa época em que os homens não sabiam falar, mas sabiam bater com os pés no chão.

E à medida que o tempo foi passando, foram dando mais intensidade aos sons que faziam, descobrindo, aos poucos e poucos que era possível criar vários ritmos, vários sons diferentes, ao juntarem os passos com o bater das palmas.

Alguns antropólogos chegam a afirmar que não só as primeiras danças eram individuais como estavam ligadas à conquista de uma parceira.

A história da dança e as Civilizações

A história da dança diz-nos que quando falamos em história, isso leva-nos a fazer uma viagem pelas civilizações antigas, onde a dança passou por vários rituais religiosos, no sentido de adorar os deuses. Estamos a referir-nos, como é óbvio, à Grécia Antiga e à Roma Antiga. E nesta viagem, não nos podemos esquecer, nem deixar de fora o Antigo Egipto, onde temos os primeiros registos dessas danças há mais de dois mil anos atrás antes de Cristo.

Como é óbvio, com o tempo foi-se perdendo a parte religiosa, e começaram a aparecer na Grécia como uma forma de festejar os Jogos Olímpicos. Mas no Japão, as danças continuam a ter o carácter religioso, até aos dias de hoje.

E não nos podemos esquecer de Roma, mas aqui as danças eram mais sensuais, pois tinham como objectivo homenagear o Deus Baco ou o Deus do vinho. Para além disto, também se dançava nas festas e nos bacanais.

A história da dança, mostra-nos que os anos, os séculos vão passando, até que a dança conhece o período renascentista, e aqui, elas passam a ser muito mais teatrais, ou seja, usadas em peças de teatro. Podemos dizer, que foi a partir deste período, que tanto o ballet, como o sapateado e o swing nasceram. E também foi a partir deste momento, que quer os passos, o vestuário, a música, e até a iluminação, bem como o cenário passaram a fazer parte da estrutura da dança.

A medida que o tempo vai passando, como num passo de dança, cada localidade vai apresentando as suas próprias danças, com coreografias próprias. Mas as danças em pares só vão aparecer no século XIX, como por exemplo a valsa, o tango…entre outras.

A própria valsa que chegou a ser considerada uma dança artesã, teve a sua origem no minueto. E a sua execução era considerada complexa e até difícil. E se no início era uma dança realizada em grupo, vai passar a ser dançada não só em pares mas também nos bailes, tornando-se uma dança da elite.

Escusado será dizer que estas danças não foram bem vistas pelos mais conservadores até chegarmos…

A Dança e o século XX

A história da dança leva-nos…ao século XX e com um fenómeno chamado Rock’n Roll. Podemos dizer, sem margem para dúvidas, que foi um dos marcos revolucionários do mundo da música e por consequência também do mundo da dança.

É claro que não nos podemos esquecer de um pequeno pormenor, o cruzamento entre povos, que não só ajudou em termos culturais, mas também com a dança. Como por exemplo, a rumba, o samba e até o maracu, que foram danças que nos foram trazidas por negros, índios e europeus.

Tal como nos tempos da Roma antiga, hoje em dia, também a dança está mais voltada para a sensualidade, e que são mais bem aceites e muito mais divulgadas que antigamente.

Há vários tipos de dança, como é o caso da dança do ventre dos países do Médio Oriente, que são muito difundidas, o Samba e o Funk, no Brasil. E apesar de de o strip tease não ser ainda bem visto aos olhos da sociedade, não deixa de ser uma dança com muita repercussão, quando a juntamos à dança inglesa “polé dance”, ou em português, dança do varão.

Como já conseguiram perceber, há muitos tipos de dança, desde a dança do ventre, danças de salão, bale, sapateado…Enfim, um sem número.

Como podem ver a história da dança é tão antigo como o próprio homem. Podemos dizer que o homem, antes de saber falar, dançou. E se gostaram dos artigos e vos deu ideias para outros, deixem o vosso comentário.

Links úteis:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.