A história do Cristianismo

A História do Cristianismo é apenas uma história de uma das religiões que existem no mundo. Hoje vamos tentar descobrir mais sobre ela. E é uma história com mais de 2000 anos.

O Significado

A própria palavra Cristianismo remete-nos diretamente à palavra Cristo, que significa Messias, ou seja, uma pessoa que foi ungido ou consagrada. O Cristianismo significa que todos os seres humanos são eternos e que a vida é uma caminhada, sendo que a morte é apenas uma passagem para a vida eterna.

A história do Cristianismo

A história do cristianismo e o seu nascimento

A história do Cristianismo ou a história da Igreja Católica pode-se dizer que começou 40 dias depois de Jesus ter ressuscitado, em 35 D.C. Foram 3000 mil as pessoas que responderam ao sermão de Pedro naquele dia e que fizeram a escolha de seguir Cristo.

Estes novos convertidos eram judeus ou prosélitos ao Judaísmo, e a igreja situava-se em Jerusalém. Talvez por isso, na altura o Cristianismo foi visto como um culto, sendo comparado com os dos fariseus, saduceus e essênios.

Contudo, a pregação feita pelos apóstolos, que era completamente diferente, à pregação dos outros grupos judeus, pois aqui eles, falavam de Jesus, o Messias, que tinha vindo à terra para cumprir a Lei e instituir a Nova Aliança baseada na sua morte.

Esta mensagem, juntamente com a acusação de que eles tinha assassinado o seu próprio Messias, conseguiu enfurecer muitos líderes judeus, de tal modo, que alguns deles, como por exemplo Paulo de Tarso, fizeram algo para exterminar “o caminho”.

A história do cristianismo mostra-nos assim que o próprio Cristianismo teve as suas raízes no Judaísmo. Que o Antigo Testamento mais não foi que a preparação e a fundação para o Novo, o que faz com que seja praticamente impossível entender o Cristianismo sem ter algum tipo de conhecimento básico do Antigo Testamento.

O Antigo Testamento mostra e explica a necessidade de um Messias, onde está contida a história de seu povo e prediz a sua chegada. Assim sendo, o Novo Testamento, é sobre a chegada desse Messias, do seu trabalho para nos salvar dos nossos próprios pecados. Durante toda a sua vida, Jesus cumpriu mais de 300 profecias especificas, provando em várias alturas e de várias formas que ele era o Messias que tinha sido anunciado no Antigo Testamento.

A história do Cristianismo conta-nos que por volta de 70 D.C., a cidade de Jerusalém foi destruída, os livros do Novo Testamento ficaram completos e que começaram a circular pelas igrejas. E durante 240 anos, os Cristãos foram perseguidos por Roma, umas vezes aleatoriamente, outras mesmo por decreto do governo de Roma.

A história do Cristianismo

A ascensão da Igreja Romana

Por volta de 312 D.C., vamos assistir ao Imperador Romano Constantino a clamar que se converteu. Isto foi o prenúncio para o que viria a seguir. Ou seja, que passados mais ou menos 70 anos, durante o reinado de Teodósio, o Cristianismo vai se tornar na religião oficial do Império Romano.

Vamos assistir então a Bispos a ocuparem posições de honra no governo, e por volta de 400 D.C., as palavras Romano e Cristãos significavam praticamente a mesma coisa.

Assim, durante os próximos séculos, a historia vai assistir a vários conselhos a reunirem-se numa tentativa de determinar a doutrina oficial da igreja, criticar os abusos feitos por parte dos clérigos, e até conseguir fazer um acordo entre os partidos que estavam a lutar entre si.

Quando o Império Romano começou a ficar mais fraco, a Igreja foi ficando mais poderosa e as discórdias de então passaram a ser entre as igrejas do Ocidente e as do Oriente.

A Igreja Ocidental que tinha a sua base em Roma, chamava a si a autoridade apostólica sobre todas as outras igrejas. Inclusive, o bispo de Roma começou a se chamar de Papa (o Pai).

A Igreja Oriental que tinha como base Constantinopla, escusado será dizer que não viu isso com muitos bons olhos. Assim, começaram a haver divisões teológicas, politicas, procedimentais e até linguísticas que foram o que contribuíram para o Grande Cisma do Oriente de 1054, no qual a Igreja Católica Romana e a Igreja Ortodoxa se excomungaram uma à outra e quebraram todos e quaisquer laços.

O Cristianismo e a Idade Média

A história do Cristianismo leva-nos a uma época chamada Idade Média, e aqui a Igreja Católica Romana continua a ter muito mas muito poder, com os papas a aclamarem a autoridade sobre todas as áreas da vida do homem e vivendo como reis.

Na Idade Média vemos como a corrupção e a avareza no seio da liderança da igreja eram comuns e dados adquiridos. Entre 1095 e 1204, os papas levaram a cabo uma série de cruzadas sangrentas para além de caras, tudo isto na tentativa de repelirem os avanços dos muçulmanos e libertarem a cidade de Jerusalém.

A reforma da Igreja

Há medida que os anos passos, há várias pessoas que tentam chamar a atenção para os abusos, não só teológicos, como também políticos e dos direitos do ser humano pela Igreja Romana. Acabam por ser todos silenciados de uma forma ou de outra. Contudo, vai existir um homem, nomeadamente um monge chamado Martinho Lutero, que em 1517 confrontou a Igreja, e conseguiu que o mundo mudasse. Foi assim, que com Lutero veio a Reforma Protestante, e a Idade Média, ou a Idade das Trevas chegou finalmente ao fim.

A história do Cristianismo

As Missões

A história do Cristianismo mostra-nos que entre 1790 e 1900, a Igreja tem uma mudança de interesses, mostrando-se assim interessada no trabalho missionário. Isto vem na sequência das colonizações, que acaba por abrir os olhos à necessidade de missões, e graças à industrialização havia dinheiro suficiente para que essas missões e as pessoas que iam fossem sustentadas. Nesta altura, os missionários foram, literalmente, enviados ao mundo inteiro para pregar o evangelho, e foi assim que muitas igrejas foram estabelecidas.

A Igreja Moderna

Nos dias de hoje, vemos como a igreja Católica Romana e a Igreja Ortodoxa têm feito alguma coisa para consertar a relação, tal como os Católicos e os Luteranos. Não esquecer que a Igreja Evangélica é muito independente e está firmada na teologia reformada. Da mesma foram, a igreja também tem visto a ascensão do pentecostalismo, do movimento carismático, do ecuménico, para além de outros cultos.

O que aprendemos com o Cristianismo

A história do Cristianismo ensina-nos pelo menos a reconhecer a importância da “palavra de Cristo habite em vós abundantemente”. Ou seja, cada um de nós é responsável por conhecer as escrituras e por viver de acordo com os seus ensinamentos. E mostra-nos que quando a própria igreja se esquece o que a Bíblia ensina e ignora o que Jesus disse, reina o caos.

Sabia que

O Cristianismo tem aproximadamente 2,13 bilhão de seguidores/adeptos no mundo, o que representa mais de 33% da população mundial.

É a religião que mais predomina na Europa, América, Oceânia, grande parte da África e em partes da Ásia.

A maioria dos Cristãos defende um Deus trino, ou seja, um Deus formado por três pessoas unidas distintas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

Os católicos têm como um dos seus maiores símbolos o papa, que atualmente tenta expandir a doutrina da fé cristã. Mas também se dedicam ao ecumenismo (que é a busca pela unidade das igrejas cristãs), aos diálogos inter-religiosos, aos trabalhos de caridade e à defesa dos direitos humanos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.